Financiamento estudantil pode destruir a economia das famílias; proteja-se!

O financiamento estudantil é uma grande oportunidade para que jovens e adultos consigam garantir seu ingresso no ensino particular de qualidade de maneira facilitada já que o financiamento possibilita o parcelamento dos custos pelo ensino que muitos não conseguem manter. Com o financiamento o pagamento só acontece no final do curso e isso pode ser benéfico ou maléfico, sendo em alguns casos um grande vilão da economia familiar.

Estudantes que estão cursando graduações consideradas não tão rentáveis ou que não possuem muito mercado são os mais prejudicados por esses financiamentos que ao final do curso quando chega no período do pagamento do valor que foi financiado eles não conseguem custear pois não obtiveram ainda o retorno necessário para bancar as parcelas.

Diante disso e da busca por alternativas para pagar a dívida para não começar a vida profissional já no vermelho muitas famílias tiram dinheiro de onde não tem e acabam destruindo a sua situação econômica. Para evitar situações como essas é imprescindível que os estudantes que vão fazer o financiamento se informem bem e analisem todos os pontos para entenderem completamente como funciona o financiamento, desde o aditamento do FIES em 2021 ate as datas do FIES 2021 para fazerem as matrículas.

O que é o financiamento estudantil?

O financiamento nada mais é que um programa que possibilita aos estudantes a chance de se matricularem em cursos superiores de instituições privadas de maneira facilitada. Os alunos conseguem se matricular nas universidades e conseguem muitas vezes juros zero com o financiamento, sendo necessário só o pagamento de uma taxa simbólica, mas o pagamento total só após a conclusão do curso.

O financiamento cobre todo o custo das mensalidades e matrícula dos estudantes. Ao chegar o fim da graduação os jovens devem se preparar para pagar o valor financiado e ai que pode morar o perigo em alguns casos. O mercado de trabalho para alguns cursos é muito instável e a garantia de um emprego assim que formados não é tanta, impossibilitando a presença de uma renda para o pagamento.

Com isso a renda familiar começa a enfrentar dificuldades para custear a dívida feita e não deixar que os recém formados já comecem a sua vida profissional com dívidas. Devido a isso a preparação econômica é muito importante para que não seja criado uma bola de neve que acabe com a economia familiar quando se vai iniciar um financiamento, seja ele qual for.

  • Corte de gastos desnecessários;
  • Não comprar por impulso;
  • Pesquisar preços;
  • Evitar o uso de cartões de crédito;
  • Ter uma reserva de dinheiro.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *