CSS REEL Nominee
Resenha do livro “Bling Ring: a Gangue de Hollywood”

Resenha do livro “Bling Ring: a Gangue de Hollywood”

No final de 2009 a jornalista Nancy Jo Sales recebeu um convite da revista Vanity Fair para cobrir o caso de uma gangue intitulada Bling Ring. Composta por jovens de classe média alta, esta gangue havia sido presa após invadir e roubar várias mansões de celebridades como Paris Hilton, Orlando Bloom, Miley Cyrus e Lindsay Lohan. E tudo isso seria normal (dentro do nosso atual padrão de normalidade), se não fosse pelo interesse de uma certa Sofia Coppola em adaptar esta história para os cinemas.

Pois Bling Ring: A gangue de Hollywood, lançamento que a Editora Intrínseca traz para o Brasil, conta mais sobre os integrantes deste grupo, além de servir como uma ótima e aprofundada pesquisa a respeito dos motivos que podem ter levado esta turma a cometer os crimes. Ah, e claro: chega por estas bandas juntamente com o longa, que apresenta a hermionica Emma Watson no papel principal.

Geração Paris Hilton

Em sua maioria bonitos e relativamente afortunados, os mimados contraventores vinham dos subúrbios da região do Valley e tinham em comum a ostentação pela cultura da celebridade, um problema cada vez maior e mais corriqueiro nos Estados Unidos.

Um estudo a respeito do efeito da cultura da celebridade sobre os valores adotados pelos adolescentes revelou que os programas de TV mais populares na faixa entre nove e onze anos consideram a fama o valor principal, acima de outros como a capacidade de autoaceitação e o vínculo com a comunidade.

Cavando ainda mais fundo na história norte-americana, Sales desenterra dados que apontam o narcisismo como uma velha característica da população do país, que em épocas de crise, tende a ficar pior.

Pior e fora de controle, uma vez que a mídia da terra do Tio Sam adora incentivar e paparicar qualquer pseudo-celebridade, por mais fútil ou incompetente que ela seja. Vide a garota que após roubar um banco, postou no Youtube um vídeo se gabando do feito.

“Os suspeitos usavam Louboutins”

Tendo espaço de sobra para contar como foi falar o grupo na época, Nancy Jo Sales aproveita várias das 272 páginas do livro para transcrever algumas entrevistas ou até momentos que precederam as conversas com os safadinhos. Algo que só é interessante de fato no primeiro capítulo, mas que logo se torna bastante chato.

Ainda assim, poucas situações conseguem ser tão surrealmente impagáveis como as que envolvem a jovem Alexis Neieres, garota que pode ser considerada a líder da Bling Ring, e que foi encarnada nas telonas pela companheira de vassoura do Harry Potter.

Com uma mãe completamente devota dos ensinamentos de O Segredo (e da versão light-para-famosos do budismo), Neieres tinha como melhor amiga a playmate Tess Taylor (que também acabou se envolvendo com a gangue mais tarde) e é a responsável pelos maiores absurdos ditos e feitos em toda a história. Como perguntar a um dos policiais, enquanto era algemada, se tinha tempo para se arrumar para a imprensa (que ela imaginava estar aguardando do lado de fora de casa), além de dizer que se sentia no poder não apenas de ser linda e de comandar a América.

Resenha do livro “Bling Ring: a Gangue de Hollywood”

‘Vejo a mim mesma como alguém tipo a Angelina Jolie, só que mais forte’ – Neiers, Alexis

Bling Ring: a Gangue de Hollywood, pelo menos na versão impressa, funciona melhor como estudo antropológico de uma geração moldada pelo glamour dos paparazzi e das notícias do EGO, já que os componentes da gangue em si não tem tanta coisa assim para dizer. Mas vale cada centavo, além do lugar na estante ao lado daqueles livros sobre sociedade.

E se você acha que não, que essa garotada não está tão ruim assim… bem, tai o VMA que não me deixa mentir.

Bling Ring: a Gangue de Hollywood
Número de Paginas : 272
Título Original : Bling Ring: A Guangue de Hollywood
Autor: Nancy Jo Sales
Editrora: Intrinseca
Valor: Aprox. R$ 19,90 pelo Submarino
I.S.B.N.: 9788580573596

Comentários

comentários

Powered by Facebook Comments

Últimos posts

charlie-chaplin